SAVINA
.

release
ficha técnica
fotos
imprensa
vídeos
uma ponte entre dois mundos
olhar cigano

 
 
Agreste

 

ANTROPOLOGIA CÊNICA

Savina mostra os ciganos sob a perspectiva de sua ética social

O texto adaptado e a encenação de Ana Teixeira e Stephane Brodt investem na antropologia cênica sem procurar identidade cigana que mimetize e aprisione referências culturais, mas que transforme as implicações étnicas em razão da cena.
Ana Teixeira investe na aspereza de uma cultura distante. O método é árduo, o resultado, belamente atritante. A linha de interpretação do elenco tem em Stephane Brodt o modelo mais bem acabado, com atuação em que se equilibram máscara poderosa, entrega física e autoridade vocal. (...) Ludmila Winschanski é presença forte que imprime envolvência trágico-poética no monólogo que encerra o espetáculo.

Macksen Luiz

Jornal do Brasil | Rio de Janeiro

 
visualizar

UMA PÉROLA DE RESPEITO

Teatro Amok alia técnica e emoção com maestria, e carrega o público para dentro da cultura dos ciganos.

Surpreendente também é a trama da peça, cujo tema escapa ao lugar-comum desses nossos tempos de centralização da cultura ocidental e de repúdio medroso a culturas não enquadradas ao pensamento hegemônico. Savina é dessas peças tão bem construídas, mas tão preciosamente acabadas, que marcam por motivos que passam ao largo do esmero formal e da precisão técnica. O espetáculo emociona pelas belas imagens que cria, pela intensidade da trama, pelas atuações inspiradas, mas sobretudo pelo respeito. Respeito aos roms, respeito às crianças (que só fazem a peça quando querem), respeito ao público, respeito ao teatro.

Mario Piragibe

Almanaque Virtual | Cultura em movimento

 
visualizar

UMA HISTÓRIA SIMPLES SERVINDO A UM OBJETIVO GRANDILOQÜENTE.

Boa parte do encantamento de ‘Savina’ vem dos figurinos fantásticos de Stephane Brodt, da bonita e expressiva luz de Renato Machado, do cenário simples e rústico de Ana Teixeira, eficientíssimo. Mas o grande destaque mesmo é a música, composta e interpretada ao vivo, no acordeom ou no violão, por Mintcho Garramone. Uma música que sublinha emoções e cria climas sem parecer demais, pesada ou desnecessária. Savina é daqueles espetáculos que não abandonam o espectador no momento em que deixa o teatro.

Jefferson Lessa

O Globo | Rio de Janeiro

 
visualizar

A DISCIPLINA DA PAIXÃO

Quem já viu os espetáculos as Amok sabe do cuidado que cerca o trabalho do grupo. Eles têm devoção que beira o sacerdócio e encaram o fazer teatral com dedicação de artesãos. Uma garantia de proximidade da audiência com os ciganos, talhados com acurado trabalho corporal.

Débora Ghivelder

Revista Veja Rio

 
visualizar

“O grupo formado para integrar a exigente proposta ética, técnica e estética de Ana Teixeira e Stephane Brodt revela uma maturidade ascendente, em momentos de rara beleza e promete alcançar a densidade que a centralidade do ator no espetáculo pede."

Fernando Mencarelli

crítico do FIT SJosé Rio Preto

 
visualizar

“Assistir ao espetáculo Savina da cia Amok é fazer um mergulho antropológico, mas um mergulho de fato, com tudo que isto implica de paixão e entrega. O trabalho da cia pede um olhar atento e participante do público, na força emotiva que transborda nos gestos e danças, nesta alegria sempre em tom maior, esta dança que traz à tona os sentimentos que não se querem calar, ao contrário se expõe e revela toda a sua fragilidade e força.”

Eliane Lisboa

crítica do FIT SJosé Rio Preto

 
visualizar

A cultura cigana em força em ritmo

A cia. Amok cria Savina a partir das obras do espanhol Mateo Maximoff

Livia Deodato

O Estado de S. Paulo

 
visualizar
 
Português English Francais