Do Ator ao Personagem

O trabalho com as máscaras balinesas apoia-se na improvisação. A máscara é um instrumento de formação essencial do ator e é utilizada na oficina como uma ferramenta que permite o ator compreender os caminhos que o levam em direção a um personagem.  As regras que se aplicam a esta forma teatral convidam o ator a entrar numa cena vazia, tendo como único recurso o corpo, a imaginação e a emoção.

O trabalho inclui a improvisação sem máscara (trabalho sobre os princípios da contação de estórias, promovendo o desenvolvimento da imaginação verbal), o estudo do personagem (figurino, voz, corpo, “ritmo interior”) e a improvisação com máscara no espaço (preparação de cenas a partir de num tema geral). A precisão física, a simplicidade e a sinceridade do jogo com máscaras, preparam o ator para abordar qualquer forma teatral.




GALERIA








VOLTAR